domingo, 17 de outubro de 2010

Mal e a omissão

                   Assisti a um Seminário de Criminologia na Escola de Magistratura do Estado do Ceará sexta-feira. Dentre os vários assunto ouvi uma frase que está martelando minha mente até agora. Eis:
" O mal não deseja sua ação e sim somente sua omissão" . Dentro do constexto acadêmico do curso é bastante aceitável a afirmação....mas...como mente inquieta que sou, no próprio seminário comecei à categorizar a frase. Aliás categorizar é realmente coisa de mente maluquinha neh! (Mas... saiu e não gosto de corrigir semanticamente o texto!) O problema é que eu tenho como politica de convivência o respeito pelos opiniões, atitudes e decisões alheias e isso me faz, muitas vezes, calar diante de coisas que eu considero pragmaticamente erradas. Dai fiquei a perguntar-me até quando meu silêncio é uma forma de incentivo ou mesmo colaboração com o que considero errado. Quanto às pessoas que amo, será que com meu silêncio eu não provoco a sensação de concordância? Fiquei mal...remoí durante todo fim de semana.



E desde quando o que acho é o certo? Ah com certeza isso não! O que fazer? Quando alguém me pedir uma opinião o que falar? Muitas vezes fico calada com meus pensamentos, muitas vezes até inicio um questionamento mas, quando vejo que irei magoar, já desisto, porque ninguém gosta de escutar aquilo que muitas vezes não é seu pensamento, vivemos em um mundo em que é mais fácil falar aquilo que se deseja ouvir. Até quando isso é uma atitude condenável diante das pessoas que amo! E quem me garante que esse alguém despertador do "certo" serei Eu...hummm logo eu que detesto me indispor com alguém, hummm  logo eu que me questiono à todo instante sobre meus acertos e erros! Ou essa minha atitude seria mesmo egoísmo de não preocupar-se verdadeiramente com as pessoas. Glumpt (barulho do "engolindo seco"). O que sei é que se o mal precisa apenas da omissão... e as vezes ele tem o meu sim. Tenho que adimitir. Continuarei a pensar...

Um comentário:

Fernanda Reali disse...

Li e tive que reler para ver se entendia, acho que entendi. E, se entendi certo, minha sugestão é que não te cales, mas que reflitas antes de falar, pois as palavras podem marcar para sempre.

Beijoooo