sábado, 4 de dezembro de 2010

Cicatrizes Abertas

Fui a uma comemoração de Bodas de Ouro do Ministro Ubiratan Aguiar a festa foi marcante, linda, feliz, divertida e emocionou a todos e em especial à mim. Filha de pais separados aquilo sangrou todas as minhas cicatrizes, todas minhas dores ardiam em meio aquela missa, aquelas declarações de amor, aquela família reunida com três gerações.

Alguns dizem que os filhos são os que mais sofrem com a separação, e estão, VERDADEIRAMENTE, corretos no fundo você TEM que fazer uma opção. Porque não viver com seu pai ou mãe não é normal, ver o pai ou mãe esporadicamente, mesmo que quase todo dia não é a mesma coisa de saber que eles estão ali no quarto ao lado ou na cozinha, conversando sobre o dia, não é acordar e escutar aquelas vozes de segurança. Tudo é diferente.

Após isso vem as familias paralelas que você tem que aprender a amar...tem pai "segundo", irmão "afetivo" ...  O melhor é ter uma familia feliz e se assim não for ai... vamos para a terapeuta (eu mesma fiz mais de 5 anos) e aprendemos a "gravar" em nossa mente que aquilo não machuca mais porque "você é grandinha e tem que ajudar sua mãe!". MENTIRA. Você simplesmente engole aquilo tudo e o pior, quando a separação ocorre com os filhos pequenos torna-se impossivel saber "porque mamãe/papai fez isso comigo se eu gostava tanto dos dois juntos?

No fim da cermômia eu chorava tanto que tive que me retirar e namorido que leva o mesmo nome do avó lembrado por sua seriedade, justiça e apego a família também não se conteve, ficamos muito tempo assim pensando na grande responsabilidade que é dividir uma vida... contei-lhe tudo que aconteceu comigo, meus pais, minhas mágoas... ele ouviu tudo sentado em um banquinho no fim do "Barbaras Buffet"...

Eu e ele fomos grandes amigos antes de começar o namoro, mas nem antes, nem depois do namoro havia falado sobre esses assuntos, apesar das suas perguntas sobre meu pai... sempre respondia que eu iria procurar o momento ideal para contar sobre ele ... e o momento foi aquele! Desabafei, fazia tempo que eu não "limpava as estantes" foi bom para mim...

6 comentários:

Cristina disse...

Oi Lili, entendo o que você falou, mas acho também que existem pais que estão presentes apenas fisicamente.As conversas e contatos maiores com os filhos ficam de lado. O que importa é qdo você sabe que pode contar com eles a hora que quiser que sempre vão estar por perto apoiando. No meu caso, meus pais não são separados, mas meu pai deu um jeitinho de me manter longe da minha familia, por conta de desavenças com meu esposo. Isso me magoa profundamente, e não sei qdo vai se resolver e se vai resolver. Beijocas pra ti.

Lili disse...

Oi Cristina..creio que deve ser uma situação dificil, muito dificil, mas pense sempre que cada coisa é uma coisa e que pais e esposos são categorias diferentes que não se anulam pq não concorrem!

Cinderela Descaída disse...

Lili,
que lindo o teu depoimento, me emocionei muito.
Meus pais são casados até hoje - estão juntos há mais de quarenta anos, mas não sei se foram felizes, pelo menos não o tempo todo - ou a maior parte dele.
Para mim, certamente foi bom tê-los juntos.
Vou começar a te seguir. Me senti muito próxima de ti!

Lili disse...

Que bom que vc gostou...é otimo compartilhar vivencias. Adorei seu comentário

A FADA DAS AGULHAS disse...

Olá Lili,muito bonito seu depoimento...
Desejo que você tenha um ótimo Natal,cheio de alegrias, harmonia e tudo que a nossa Caixinha de sonhos nos faz acreditar.
Que esse Novo Ano que se aproxima seja uma porta aberta para novos sonhos, renovações de fé e muita Paz para o nosso mundo.
Feliz Natal e próspero Ano Novo.
Um grande beijo!

Simone Souza

Inaie disse...

Acho que esse assunto e sempre muito controverso. Claro que num mundo ideal as epssoas se amariam para sempre e as familias seriam todas felizes e cor de rosa.
O problema e que no dia a dia, a coisa e diferente, e eu nao sei se viver uma relacaos em amor faz bem aos filhos...

Bom, mas a passada por aqui e pra desejar boa dieta coletiva! 3,2, 1 ela comeca AGOOORA!!